poema antigo

Tombam sóis nascentes. Cores vivas vislumbram Aquilos que não dizemos Na tinta seca das cartas. Presença de coros antigos Dos negros nas plantações E a tristeza melancólica Do batuque envolve a roda G i g a n t e. Lento ocaso, delicioso Eu-azul escurecendo Com as mãos de uma mulher. (Campinas, 1977 - para Márcia de Araújo Paiva)

Comentários