a cidade dos maiombolas

Naquele país avança tudo aos solavancos, atropelos, empurrões, mas avança. Ninguém sabe muito bem para onde vai, mas é para a frente de qualquer maneira. Na cidade dos maiombolas, porém, não vai haver eleições. Ou já houve, ninguém sabe ao certo. O lixo acumula-se nas ruas novamente. Os buracos aumentam e já não distingue de novo a rua do passeio. Os esgotos continuam esgotados há muito. A luz falta cada vez mais. A água vem cada vez mais suja. Só a vozinha dos maiombolas de vez em quando se faz ouvir, cada vez mais fina, catuitui com verniz, pois a gordura dos bolsos abafa até a própria verdade.

Comentários

platero disse…
ora já sei onde s(acha)o meu amigo:
no mítico país dos MAIOMBOLAS

lindo nome. Vale só por si como um tratado de boa literatura.

eu não disse Litratura - que isso tem a ver com o que se escreve quando se está com os copos.

bom abraço - transatlântico pelos vistos